Hospitalar faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Brasil e EUA vão avaliar risco de zika para grávidas e fetos

Dez mil mulheres grávidas serão acompanhadas em diversos países onde há circulação do vírus, sendo quatro mil brasileiras 

zikaparagravidasBrasil e Estados Unidos deram início a um estudo internacional para avaliar os riscos que o vírus zika pode gerar para a saúde de gestantes e dos fetos. A análise será conduzida pelo Ministério da Saúde do Brasil, por meio da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a agência governamental do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos.

Ao todo, 10 mil mulheres grávidas serão acompanhadas em diversos países onde há circulação do vírus, sendo quatro mil brasileiras. O trabalho já teve início em Porto Rico, no Caribe, e, no Brasil, deverá começar entre este mês e agosto.

O estudo tem como objetivo acompanhar toda a gestação de mulheres que não foram infectadas pelo zika, a partir do primeiro trimestre de gravidez. Depois do parto, os bebês serão monitorados durante um ano. A ideia é determinar se essas mulheres foram infectadas pelo vírus durante a gestação e verificar as consequências dessa infecção para os fetos, quando houver casos positivos.

Participarão do acompanhamento mulheres a partir de 15 anos de idade. No Brasil, o trabalho será realizado com moradoras dos municípios do Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Recife (PE) e Ribeirão Preto (SP).

Além do Brasil e Porto Rico, serão monitoradas gestantes da Colômbia, além de outras regiões onde há circulação do zika. A Fiocruz e outras instituições, como os Institutos Nacionais da Saúde (NIH), estão envolvidas no estudo.

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar