Hospitalar faz parte da divisão divisionName da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Diretor da Anahp, Marco Aurélio Ferreira afirma que futuro da saúde está na telemedicina

Diretor da Anahp, Marco Aurélio Ferreira afirma que futuro da saúde está na telemedicina

O diretor-executivo da Anahp (Associação Nacional de Hospitais Privados), Marco Aurélio Ferreira, conversou com a Hospitalar sobre o futuro do setor da saúde.

O diretor-executivo da Anahp (Associação Nacional de Hospitais Privados), Marco Aurélio Ferreira, conversou com a Hospitalar sobre o futuro do setor da saúde. Ele comentou que uma das apostas para o próximo ano é a prática da telemedicina, tecnologia cada vez mais acessível à população. Acredita-se que o investimento neste tipo de tecnologia é primordial para esse processo, uma vez que a tecnologia tem andado de mãos dadas com a prática da medicina.

Confira a entrevista na íntegra:

Hospitalar: Quais as tendências do setor da saúde para 2020?

Marco Aurélio Ferreira: Assim como outros setores, a saúde também tem expectativas de que haja uma retomada de crescimento da economia, o que proporcionará um impacto positivo para o nosso setor, como a geração de empregos e aumento dos beneficiários de planos de saúde.

Além disso, há duas discussões importantes que têm pautado o setor saúde há algum tempo e que é possível acompanhar evoluções importantes. Uma delas é o modelo de remuneração na saúde suplementar. Há pelo menos 15 anos se discute um modelo de remuneração que seja pautado na valorização do que é o melhor cuidado para o paciente, colocando-o no centro desse cuidado, ou seja, que leve em conta a qualidade da atenção. Na Anahp, por exemplo, nós temos um programa importante e fundamental para repensar a lógica de remuneração do setor, que é o “Desfechos Clínicos”, baseado na metodologia do ICHOM (International Consortium for Health Outcomes Measurement), e que está bastante evoluído. O grande propósito desse programa é medir os resultados que importam para o paciente, parte fundamental da equação de valor de Porter. Além disso, a Anahp também tem trazido a temática para seus eventos e publicações.

O segundo tema que terá um grande impacto para a saúde é a Implementação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que será um grande desafio para o setor em 2020, pois deverá entrar em vigor a partir do mês de agosto, e os hospitais precisarão se preparar e se adaptar. A Anahp tem, desde o início da discussão, o objetivo de auxiliar os hospitais nesse processo por meio da promoção de debates e workshops sobre o tema, além de estar desenvolvendo um manual sobre a lei e seus impactos. 

H: Quais as apostas para o setor no próximo ano?

MAF: A Anahp entende que a telemedicina é uma das grandes apostas para o setor nos próximos anos. O debate está sendo cada vez mais ampliado e a sociedade está madura para este diálogo. A tecnologia está cada vez mais acessível e a população mais consciente dos benefícios que ela pode trazer para a sua saúde e para sua vida de forma geral.

Além disso, quando falamos em apostas para o setor, a primeira coisa que me vem à cabeça é a capacidade de gerar informações que possam nos ajudar a entender melhor o perfil do nosso paciente, as necessidades deste paciente, ou seja, a construir um sistema de saúde que consiga suprir, de maneira efetiva e preditiva, as necessidades daquela população.

A Anahp sempre teve em seu DNA a cultura de medir resultados. O SINHA (Sistema de Indicadores Hospitalares Anahp) foi um dos primeiros produtos desenvolvidos pela Associação, que nasceu praticamente com a fundação da entidade, com o propósito de conhecer a realidade de seus associados. Hoje, o SINHA reúne mais de 300 variáveis e cerca de 250 indicadores de performance, distribuídos nos seguintes eixos: assistenciais, gestão de pessoas, TI, sustentabilidade, econômico-financeiro, entre outros, e conta com a adesão de 95% de seus associados informando dados mensalmente para o sistema. Outra vertente do SINHA são os indicadores de desfechos, conforme mencionado na pergunta anterior, e que passaram a ser incorporados na plataforma SINHA em 2017. Hoje, já são 3 standard sets (patologias) em acompanhamento, e aproximadamente 16% dos hospitais participam da iniciativa. 

H: O que se pode esperar do mercado em relação aos avanços tecnológicos?

MAF: Gigantes mundiais do setor tecnológico estão investindo em soluções voltadas à saúde, o que nos chama a atenção positivamente. Além disso, a inteligência artificial tem estado cada vez mais presente no setor hospitalar e isso vai desde a parte administrativa, passando pelos processos do dia a dia, pelos equipamentos, soluções e até medicamentos. Acreditamos que daqui em diante, as inovações acontecerão numa velocidade muito maior do que estamos acostumados a ver até hoje.

Pensando nisso, criamos, no ano passado, um programa de startups que tem como objetivo dar visibilidade a soluções inovadoras em saúde. Os 10 melhores projetos serão convidados a serem apresentados durante o Congresso Nacional de Hospitais Privados (CONAHP).

O cenário em que vivemos tem sofrido constantes mudanças, e a tecnologia é primordial para que esse processo seja contínuo e positivo, principalmente para o paciente, que é nossa maior prioridade.

Parceria Anahp e Hospitalar

A Anahp é parceira de longa data da Hospitalar e, todos os anos, realiza em seu estande e em seus congressos lançamentos de publicações, encontros com gestores e difusão de boas práticas de gestão.

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar