Hospitalar faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Por quê o empreendedorismo pode transformar a jornada do médico?

Assim como a tecnologia vem revolucionando a maneira de viver e trabalhar numa velocidade notável, a Medicina e sua forma de atuar segue este ritmo. Há uns bons anos, ser médico no Brasil era para poucos e uma profissão respeitada em níveis nobres assim como o professor. Hoje, nesta linha de tempo, ser médico é enfrentar dia a dia percalços que vai desde a infraestrutura onde atua (se for em um hospital público por exemplo), honorários, agressão física (pesquisa recente aponta que 75% dos médicos e enfermeiros do estado de São Paulo já sofreram algum tipo de violência no ambiente de trabalho), plantões e ainda a rotina exaustiva do consultório, onde também precisa gerenciar processos empresariais,  capacitar e fidelizar sua relação com o paciente.

Neste cenário, aonde o médico é mais um sobrevivente, um movimento ainda tímido, porém importante, vem tomando espaços de discussão, colecionando cases de sucesso por este Brasil afora e ainda sendo uma aposta para transformar a medicina e a jornada do médico brasileiro. O empreendedorismo médico é o triunfo para esta mudança. É na criação de novos negócios, possibilidades de soluções que o médico, pode encontrar uma nova maneira de cuidar, acolher, obter mais resultados financeiros e de forma criativa e engajadora, tornar-se protagonista de sua carreira.

   Para o médico e empreendedor, Marcus Carvalho, o ensino da Medicina brasileira é focado apenas em treinar o médico nas habilidades técnicas, o que é um grande empecilho para o desenvolvimento da sua própria carreira. “O médico é um empresário nato, pois termina a faculdade e já precisa ser gestor de sua própria atuação e muitas às vezes do seu consultório. No entanto, quais habilidades o mesmo têm para conquistar excelentes indicadores? Nenhuma”, questiona. Carvalho ressalta que em outros países como o Canadá, a cultura do empreendedorismo é apresentada e treinada em praticamente todos os níveis de ensino. “Precisamos seguir exemplos destes países e começar, urgente, a discutir com o Ministério da Educação e Saúde, a possibilidade de inovação na grade curricular da Medicina”.

Segundo Carvalho, o empreendedorismo médico no Brasil acontece de forma “espontânea”, estimulado muitos  vezes pela insatisfação do profissional e na possibilidade de mais rentabilidade. “O início da minha jornada empreendedora contei um pouco com minha intuição e o desejo de impactar vidas, através dos novos negócios, oferecendo assistência e promoção à saúde de forma mais acessível. No entanto, precisei ter conhecimento para uma visão global dos negócios e para isto, estudei e muito. Fui um autodidata e logo fiz MBA em Gestão de Negócios. Os médicos que desejam  empreender não sabe quais os caminhos precisam trilhar, pois foram treinados apenas de forma técnica. É um desafio para a comunidade médica”.

Há um ano, Carvalho criou a plataforma inédita digital, Sucesso Médico, aonde o propósito está centrado em oferecer à comunidade médica conteúdos relevantes de negócios, inovação, empreendedorismo, marketing, e outras ferramentas que possibilitem o médico a ter acesso a estes conhecimentos. “Estamos preenchendo uma lacuna importantíssima na história da Medicina no Brasil e o mais essencial, modificando a carreira do médico. Temos médicos que através da plataforma, mudaram seu mindset e tiveram condições de empreender, o que para nós, é cumprir nossa missão de maneira completa”.

O acesso aos conteúdos da Sucesso Médico é gratuito. Semanalmente, a plataforma atualiza materiais inéditos e prepara inserções especiais de cases inéditos, séries com consultores reconhecidos sobre planejamento estratégico, negócios e outros temas. Para acessá-la: www.sucessomedico.com

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar