Hospitalar faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

200702_health analytics_2.jpg

Webinar, patrocinado pela Microsoft, promove discussão do setor

Cases abordados tinham como tema dados assistenciais, saiba mais!

Com patrocínio da Microsoft, webinar promove discussão de cases usando dados assistenciais  

O mês de junho foi marcado por muitos eventos online promovidos pela Informa Markets, empresa responsável pelos maiores eventos de saúde como a Hospitalar, o HIS, Saúde Business Forum, entre outros. Dessa vez, em parceria com a Microsoft, o saúdebusiness.com reuniu especialistas para discutir o tema “Health Analytics:  Abordagens Práticas para o Uso de Dados Assistenciais”. O encontro foi moderado por Guilherme Hummel, coordenador científico da HIMSS no Brasil, e contou com a presença de convidados de peso para debater o tema.

Rogério Boros, diretor de Governo Federal e Saúde da Microsoft Brasil; Roberto Penido, CIO do Hospital Care; Jacson Barros, diretor de informática do SUS; Luzia Sarno, CIO do grupo Fleury; e Ailton Brandão, CIO do Hospital Sírio-Libanês formaram a mesa de debates.

No encontro, os participantes apresentaram cases de sucesso em que o uso de Health Analytics gerou melhorias em suas empresas, como redução de custos ou de mão de obra, além de apresentar os resultados obtidos. 

Luzia Sarno abriu a conversa apresentando um projeto em andamento pelo Grupo Fleury que trabalha o atendimento mais centrado no paciente, evitando-se desperdício de tempo com preenchimento de dados por parte dos médicos. Os dados analíticos, então, são utilizados como um filtro para saber quais pacientes devem ser priorizados, quais pacientes demandam mais tempo de atendimento, além de já trazer ao médico os primeiros dados do paciente, como comorbidades e os últimos exames realizados. “Esse big data foi transformado em dados concretos e rápidos nas mãos do médico, priorizando um atendimento mais homogêneo, sofisticado e mais voltado ao paciente”, concluiu a CIO.

Em seguida, Ailton Brandão destacou ser algo recente no hospital Sírio-libanês o investimento em Health Analytics. Com uma equipe de 25 pessoas dividas em 3 times voltadas para o negócio - saúde populacional, para tratar individualmente o paciente; dados clínicos, que ajudam o médico na tomada de decisão; e o grupo de dados gerenciais - O case proposto por Brandão é um que trata de no-show, em que os algoritmos foram utilizados para entender o perfil em que isso acontece. “Com os dados obtidos por meio desses algoritmos, fazemos uma intervenção via call center, ligando para esses pacientes para lembra-los da consulta ou reagendar, se for necessário. Com isso, conseguimos uma redução de 20% do no-show”. 

Já Roberto Penido expôs um case feito por meio da avaliação dos prestadores, a fim de reduzir a sinistralidade, realizado no Hospital Vera Cruz. Com um trabalho de analytics, foi possível reduzir essa sinistralidade de 91% para cerca de 86%. “Percebemos que a melhor qualidade da prestação de serviço tem efeito direto no desfecho clínico. Com poucos indicadores criamos rapidamente insights e implementamos as medidas necessárias para chegar a essa redução”.

O dataSus é um dos maiores bancos de dados do mundo, e o que o Jacson propôs para a obtenção de dados consolidados na saúde foi a implementação de um datalake, assim, toda informação consolidada deve passar por esse repositório. “A criação desse grande repositório que permite um acesso flexível a um grupo de profissionais que não tem toda a expertise de um cientista de dados é o que estamos colocando em prática aqui”.

Fechando o ciclo de debates, Rogerio Boros fala que a Microsoft está trabalhando no desenvolvimento de ferramentas para que os diferentes players do setor de saúde tenham maior eficiência econômica e mais resultado na qualidade da recuperação. Um exemplo é o programa EmpowerMD, que usa a inteligência artificial para ouvir as conversas clínicas entre médico e paciente para criar, de modo automático, um prontuário, evitando que o médico perca tempo com o preenchimento de informações e possa focar mais no atendimento em si. “Uma das preocupações que temos é não só trazer soluções, mas também garantir segurança e privacidade”, completou.

Programação de eventos online continua

No mês de julho, o Saúde Business, com o apoio da Hospitalar, SBF e HIS continua com a programação de webinars, trazendo especialistas para discutir temas relevantes e atuais sobre tecnologia, gestão hospitalar, engenharia clínica e assistência. 

A programação e inscrições para as próximas lives estão no site do Saúde Business: https://saudebusiness.com/webinars-saude-business/ 

O webinar sobre Health Analytics e outros podem ser conferidos na íntegra na página do YouTube do Saúde Business

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar