Hospitalar faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

200322_hospital.jpg

Hospitais privados estão preparados para enfrentar o covid-19

Veja as ações que entraram na rotina para reduzir os efeito da pandemia.

A Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), que atualmente conta com 122 filiados, publicou um manifesto de apoio ao Ministério da Saúde no enfrentamento ao Covid-19, com o objetivo de somar esforços e reduzir de casos fatais. 

Conheça algumas das ações que estão sendo realizadas por algumas destas instituições associadas, como forma de se preparar para o combate ao coronavírus: 

Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo
A rede organizou um robusto Plano de Contingência Institucional. Entre as ações, foi estruturado no anexo hospitalar da unidade Pompeia, zona oeste de São Paulo (SP), um espaço totalmente segregado, com atendimento exclusivo aos pacientes com COVID-19. Além disso, o time desenhou um fluxo assistencial pensado para estar distante das demais alas de internação dos hospitais, visando com isso, diminuir o impacto da transmissão cruzada. 

O hospital montou também um sistema de pronto atendimento, separado do pronto-socorro principal, no qual é feita a triagem de pacientes suspeitos.

Hospital Moinhos de Vento 
Para enfrentar o coronavírus, foi instituído o “Comitê do Enfrentamento do COVID-19” para planejar e coordenar as ações a serem implementadas por conta da pandemia. Entre as medidas, foi estabelecido um fluxo específico e padronizado na emergência para pacientes suspeitos. Por sua vez, o teste (RT-PCR) para COVID-19 passou a ser oferecido em nível hospitalar, conforme indicação médica. A Unidade de Terapia Intensiva passou a ser preparada para atender esse tipo de situação, o que inclui disponibilizar leitos de isolamento com pressão negativa.

Hospital Israelita Albert Einstein 
A instituição foi a primeira a receber um caso de paciente brasileiro infectado pelo novo coronavírus. Desde o início da epidemia, em dezembro de 2019, a instituição vem se preparando para realizar o diagnóstico e tratamento de pacientes contaminados pelo vírus, tudo de acordo com as regras estabelecidas pelo órgão americano CDC, pela OMS e Ministério da Saúde.

O protocolo de atendimento começa na identificação dos casos suspeitos. Já na triagem do Pronto Atendimento, há um totem em que o paciente, antes de retirar a senha, seleciona os sintomas. Caso sejam semelhantes aos da infecção causada pelo coronavírus ou aos de outras doenças infectocontagiosas, recebe uma senha diferenciada, bem como a determinação para o uso de máscara e higienização das mãos com álcool gel – há um espaço na sala de espera em que estão disponíveis máscaras, lenços e álcool gel. Após o contato do paciente com a equipe de enfermagem, se este se encaixar na definição de casos suspeitos e apresentar sintomas respiratórios ou histórico de viagem a outros países acometidos pelo vírus, ele é submetido ao teste PCR e fica em observação e isolamento até que o resultado saia, dentro de 24 horas. 

Além disso, as equipes receberam um extenso e rigoroso treinamento para aprimorar o fluxo de atendimento destes pacientes. Foram produzidos vídeos curtos de instrução, e-learnings e projetos lembretes para as áreas assistenciais, realização de simulados nos prontos atendimentos e unidades de terapia intensiva, reuniões clínicas presenciais para toda a organização e informativo para pacientes, acompanhantes, familiares e visitantes.

Esses protocolos são essenciais para garantir a excelência em todos os passos de atendimento. “Além disso, elas garantem a segurança de todos os que circulam nas unidades do hospital, especialmente a dos pacientes e a de seus familiares. Nosso objetivo é sim oferecer o melhor atendimento aos casos suspeitos da síndrome Covid-19, mas garantindo que não exista nenhum tipo de risco em outros atendimentos de qualquer natureza. Afinal, é essencial que os demais cuidados com a saúde da sociedade se mantenham de forma eficiente e segura”, afirma Sidney Klajner, presidente do Hospital Albert Einstein. 

A Hospitalar acredita que a informação é uma ferramenta essencial para combater o coronavírus. Para se manter em dia sobre as últimas ações sobre o Covid-19, recomendamos que acompanhe nosso site e também os dados oficiais publicados diariamente pelo Ministério da Saúde, que atualiza os dados sobre a doença, diariamente: http://plataforma.saude.gov.br/novocoronavirus

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar