Hospitalar faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

200707_prescrição virtual.jpg

Regulamentação da telemedicina dispara o uso da prescrição digital

Farmácias terão que se adaptar ao novo recebimento de receitas

A chegada da COVID-19 provocou diversas mudanças importantes, entre elas, a forma como as pessoas realizam suas consultas e, consequentemente, a maneira como compram seus medicamentos de uso contínuo ou que são receitados após uma teleconsulta, modalidade que emergiu nesse cenário. Como consequência, as farmácias tiveram que se adaptar rapidamente para receberem a receita digital como novo formato do documento.

Segundo a healthtech Memed, especializada em prescrição digital, o que antes estava em fase de testes, restrito às grandes redes, já é uma realidade em mais de 22 mil drogarias, que englobam as grandes redes e também as independentes. São Paulo é o estado com o maior número de bandeiras aceitando (318), seguido por Minas Gerais (124), Paraná (101) e Rio Grande do Sul (100).

Pensando em padronizar e certificar as receitas digitais, o CFM, em parceira com o CFF - Conselho Federal de Farmácia e o ITI - Instituto Nacional de Tecnologia da Informação criaram o projeto Prescrição Eletrônica, que auxilia a relação remota entre médico, paciente e farmacêutico, permitindo validar a autenticidade do documento.

Para realizar a prescrição o médico deve possuir uma assinatura eletrônica, e os documentos estão disponíveis para download no próprio site do CFM. O médico poderá preencher atestados, receituários simples e de medicamentos controlados, relatórios e até a solicitação de exames médicos, tudo remotamente e com segurança.

 

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar