Hospitalar faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Campanha busca tratar a desnutrição hospitalar

Uma nova iniciativa tem ganhado destaque no setor da saúde, mobilizando nutricionistas e nutrólogos: o “Diga Não à Desnutrição”, desenvolvido pela Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (BRASPEN). O intuito é alertar e capacitar os profissionais de saúde para a prevenção e o tratamento da desnutrição nos hospitais.

Uma nova iniciativa tem ganhado destaque no setor da saúde, mobilizando nutricionistas e nutrólogos: o “Diga Não à Desnutrição”, desenvolvido pela Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (BRASPEN). O intuito é alertar e capacitar os profissionais de saúde para a prevenção e o tratamento da desnutrição nos hospitais.

O primeiro desafio é mostrar que existem outros tipos de desnutrição além daquela causada por fatores socioeconômicos. Há também aquela que ocorre ou se agrava durante a internação de um paciente no hospital, e o cuidado para tratar ou prevenir esse quadro é essencial para garantir a saúde do paciente.

De acordo com dados recentes fornecidos pela BRASPEN, atualmente a taxa de desnutrição nos hospitais varia entre 20% e 60% entre os adultos hospitalizados, sendo que o quadro pode piorar durante a internação dos pacientes, principalmente entre idosos e aqueles que possuem condições mais graves.

Um agravante é que a desnutrição é o gatilho para diversas outras doenças e situações que podem aumentar o risco do paciente durante a internação, como, por exemplo, baixa imunidade, diminuição de massa muscular, risco de infecções, aumento de reinternações, úlceras de pressão, problemas gastrointestinais, entre outros.

“A desnutrição é a doença mais prevalente dentro de um hospital geral. Nós sabemos que pelo menos metade dos pacientes apresentam alguma característica dessa doença, algo que acaba sendo negligenciado ou não tratado como se deve. A principal intenção da campanha, mais ainda do que prevenir, é tratar essa desnutrição. Isso pode evitar que a pessoa saia mais desnutrida do que entrou, evita um retorno do paciente ao hospital e aumenta os índices de recuperação e satisfação”, explica a médica Melina Castro, integrante da BRASPEN.

Lançada em fevereiro de 2018, a campanha da BRASPEN ganhou apoio de influenciadores e celebridades como Neymar, Ivete Sangalo e o médico Dráuzio Varela, que compartilharam mensagens em suas redes sociais.  Em junho, o Ministério da Saúde aderiu à iniciativa, e o tema será divulgado em hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS).

“No setor privado, nós recebemos convites para apresentar a campanha em diversos hospitais. Nós realizamos aulas, debatemos os objetivos com a equipe de atendimento e o próprio hospital fica responsável pela implantação da iniciativa”, diz Melina.

Atualmente a campanha possui parceiros em São Paulo, Brasília e Goiás.

São Paulo: Hospital Israelita Albert Einstein; Hospital do Coração (HCor); Hospital São Luiz – Itaim; Hospital Municipal da Vila Santa Catarina; Hospital Estadual Mário Covas (Santo André); Hospital Samaritano Higienópolis e AUSTA Hospital (São José do Rio Preto).

Brasília: Hospital Santa Lúcia Sul; Hospital Anchieta; Hospital Brasília; HOME Hospital; Hospital Daher e Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF).

Goiás: Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (HUGOL); Hospital de Urgências de Goiânia (HUGO) e CRER – Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo; Hospital Evangélico Goiano.

Para facilitar o entendimento sobre os passos necessários para a prevenção da desnutrição hospitalar, a campanha faz uso do método mnemônico, no qual foram estabelecidos 11 passos com base nas letras iniciais da palavra DESNUTRIÇÃO.

D – Determine o risco e realize a avaliação nutricional; 

E – Estabeleça as necessidades calóricas e proteicas;

S – Saiba a perda de peso e acompanhe o peso a cada 7 dias;

N – Não negligencie o jejum;

U – Utilize métodos para avaliar e acompanhar a adequação nutricional ingerida versus a estimada;

T – Tente avaliar a massa e a função muscular;

R – Reabilite e mobilize precocemente;

I – Implemente pelo menos dois indicadores de qualidade;

Ç – Continuidade no cuidado intra-hospitalar e registro dos dados em prontuário;

à – Acolha e engaje o paciente e/ou familiares no tratamento;

O – Oriente a alta hospitalar.

A associação está disponível para tirar dúvidas, orientar e também disponibilizar todo o material teórico e de divulgação da campanha pelo site www.braspen.org/materiais-diga-nao-a-desnutricao. Caso a instituição precise, a Braspen oferece um serviço de palestras, aulas e orientação que pode ser feito in loco.

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar