Hospitalar faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Congresso discute definições e causa da amputação, além dos motivos que levam uma pessoa a autorizá-la

No segundo dia do Congresso Reabilitação, que acontece na Hospitalar, foi realizado o workshop Amputações: Definições e Significados, no qual especialistas falaram sobre as definições, causas do procedimento e motivos que levam uma pessoa autorizá-lo.

No segundo dia do Congresso Reabilitação, que acontece na Hospitalar, foi realizado o workshop Amputações: Definições e Significados, no qual especialistas falaram sobre as definições, causas do procedimento e motivos que levam uma pessoa autorizá-lo.

O primeiro palestrante desta quarta-feira, 22, André Sugawara, médico fisiatra do Instituto de Medicina Física e Reabilitação do Hospital das Clínicas de São Paulo, abordou os novos conceitos e definições. “Antigamente, essa cirurgia era quase sinônimo de mutilação e invalidez”, declarou. “Hoje, este paradigma está mudando. A amputação é definida como um procedimento salvador, para conter um câncer ou uma infecção, por exemplo. O paciente não está apenas perdendo uma parte do corpo, mas ganhando uma chance de continuar vivendo.”

A também médica fisiatra Fernanda Nardon Soares, do Centro de Reabilitação Lucy Montoro, unidade de São José dos Campos, deu números das causas mais comuns de amputação. “A principal delas são doenças vasculares, seguidas de diabetes”, contou. “Nos Estados Unidos, em 2012, a primeira causa foi responsável por 93% das cirurgias.”

No Brasil, não há dados precisos. Sabe-se apenas que em 2011, 94% das amputações foram nos membros inferiores, a maioria em pessoa do sexo masculino.

A psicóloga Sandra Regina Schewinsky, por sua vez, tratou das razões que levam uma pessoa a autorizar a amputação de um membro seu, cirurgia que normalmente causa trauma e dor física e social. “O principal motivo delas é sobreviver”, disse. “Depois vem a qualidade de vida, pois muitas vezes o membro doente prejudica o paciente.”

O workshop, que se encerrou às 16h30 teve ainda 10 outras palestras. No terceiro dia do Congresso de Reabilitação, entre as 13h30 e 17h30, acontecerá o workshop Reabilitação, Tecnologia e Inovação, os painéis Condicionamento Muscular através da Estimulação Elétrica Funcioal; e Inovação na Redução do risco de Úlceras por Pressão e Mudança de Decúbito, e uma mesa redonda.

O Congresso se estende até sexta-feira, com atividades entre às 14h e 17h30 e entrada gratuita.

Serviço dos Congressos e eventos

Congresso de Reabilitação

Data: de 21 a 24 de maio de 2019

Horário: das 13h às 18h

Local: Pavilhão vermelho, rua L /20-120

Realização: Hospitalar, em cooperação com a rede de Reabilitação Lucy Montoro

Congresso aberto ao público

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar